O Ecomuseu

Ribeira de Pena é um concelho de fronteira entre o Minho e Trás-os-Montes, onde se encontram o Alvão, o Barroso e o próspero vale do Tâmega. Fruto desta situação, possui um património rico e peculiar, de contrastes e simbioses que estão na origem de uma identidade muito própria caracterizadora da sua comunidade.


O Ecomuseu de Ribeira de Pena pretende preservar e divulgar o património cultural da comunidade ribeirapenense, assim como promover e dinamizar a ação cultural na sua região de implantação.










quarta-feira, 8 de julho de 2020

Menir de Pedra d'Anta em vias de classificação


Foi publicado em Diário da República o anúncio de abertura do procedimento de classificação do Menir de Pedra d’Anta, em Alvadia, no concelho de Ribeira de Pena, pela Direção-Geral do Património Cultural.

Este procedimento surge na sequência do pedido de abertura solicitado pelo Município de Ribeira de Pena junto da Direção Regional de Cultura do Norte no início de 2019, no âmbito do encerramento do Ano Europeu do Património Cultural.

O aviso agora publicado refere ainda que o menir e os imóveis localizados na zona geral de proteção, de 50 metros em redor contados a partir dos limites externos, ficam abrangidos pelas disposições legais de proteção em vigor. Refere ainda que “os interessados poderão reclamar ou interpor recurso hierárquico do ato que decide a abertura do procedimento de classificação, nos termos e condições estabelecidas no Código do Procedimento Administrativo, sem prejuízo da possibilidade de impugnação contenciosa”.

O Menir de Alvadia é um menir de grande dimensão, classificado como possível estátua-menir, localizado nas proximidades da aldeia de Alvadia, numa zona aplanada da Serra do Alvão. Possui mais de 4 metros de comprimento e um conjunto de gravuras rupestres nas faces, caraterísticas que o colocam no patamar cimeiro deste tipo de estruturas megalíticas no contexto da Península Ibérica. O menir encontra-se retirado da sua posição original, estando neste momento o Município a programar o seu futuro restauro e o regresso à posição vertical.






terça-feira, 7 de julho de 2020

Ecomuseu de Ribeira de Pena recebe selo Clean & Safe


O Turismo de Portugal, em associação com a Direção-Geral do Património Cultural, atribuiu o selo Clean and Safe aos espaços do Ecomuseu de Ribeira de Pena.

Esta campanha foi​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​ criada como forma de reconhecer as empresas e organismos com interesse para o setor do Turismo que cumprem as recomendações da Direção-Geral da Saúde evitando a contaminação dos espaços com o SARS-CoV-2 (novo coronavírus) e assim incentivar a retoma do setor do turismo a nível nacional e internacional, reforçando a confiança de todos no destino Portugal e nos seus recursos turísticos. ​​

A atribuição do selo Clean & Safe certifica, desta forma, que os espaços do Ecomuseu de Ribeira de Pena estão a cumprir todos os requisitos para uma visita em segurança.



Confirme aqui os nossos horários








quarta-feira, 3 de junho de 2020

Museu do Linho recebe nova atração


O Museu do Linho em Limões tem uma nova atração integrada na sua exposição permanente.

A pintura "Tecedeira" da autoria de Leonor Vaz de Carvalho foi oferecida pela autora ao museu, em conjunto com um poema alusivo ao trabalho do linho da autoria de seu pai, o escritor Manuel Vaz de Carvalho, natural de Alvite. Constitui uma homenagem da autora às tecedeiras da freguesia de Cerva e Limões, que preservam viva a tradição do trabalho artesanal do linho na região.

Leonor Vaz de Carvalho é professora aposentada do Ensino Secundário. Desde muito cedo revelou inclinação para as Belas Artes que, apesar de não terem sido o seu percurso de vida, sempre tiveram um papel relevante nas suas horas de lazer, como fuga ao quotidiano.

Tendo-se tornado num projeto mais sério desde a aposentação, a Pintura passou a ser uma atividade a que se dedica de forma apaixonada. A paisagem transmontana, as suas gentes e a sua ruralidade são temas recorrentes nas suas obras, que executa com grande realismo, utilizando técnicas variadas, tais como o óleo, o acrílico, o pastel ou a aguarela. O seu percurso na Pintura tem sido desde então marcado por numerosas exposições, ora individuais ora coletivas.



terça-feira, 2 de junho de 2020

Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Ribeira de Pena aprovou Plano Operacional Municipal


A Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Ribeira de Pena aprovou, no dia 29 de maio, o Plano Operacional Municipal 2020 (POM), na Casa da Cultura-Museu da Escola.

Este plano define linhas orientadoras de articulação entre entidades ligadas à prevenção e combate dos incêndios rurais. O POM visa desenvolver um sistema de deteção e vigilância articulado e eficaz; mobilizar rapidamente os meios de combate; extinguir os incêndios na sua fase inicial, e, evitar o risco para a população, seus bens e atividades.

Nesta reunião estiveram representados a Câmara Municipal de Ribeira de Pena, os Bombeiros Voluntários de Ribeira de Pena, os Bombeiros Voluntários de Cerva, a Associação Florestal de Ribeira de Pena, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, a Guarda Nacional Republicana através do Posto Territorial e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro, a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), o Conselho Diretivo dos Baldios de Alvadia, o Conselho Diretivo de Melhe, a Junta de Freguesia de Canedo, a Junta de Freguesia de Santa Marinha e a Junta de Freguesia de Salvador e Santo Aleixo de Além Tâmega.

Na sessão foram ainda apresentados os resultados da monitorização das metas e ações do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Ribeira de Pena.

O planeamento e a prevenção são essenciais para minimizar o risco, sobretudo, num concelho como Ribeira de Pena, onde as características do povoamento florestal e dos aglomerados populacionais colocam grandes dificuldades às operações de proteção de pessoas e bens e de defesa dos espaços florestais, em caso de incêndio rural.


terça-feira, 19 de maio de 2020

Aviso: Reabertura dos Museus


Informamos que os museus do Ecomuseu de Ribeira de Pena irão reabrir ao público a partir do próximo dia 22 de maio de 2020.

Poderá visitar ou revisitar os nossos museus de terça a sábado no seguinte horário:

Casa da Cultura-Museu da Escola - 9h30-13h00 / 14h30-18h00
Museu da Venda Nova - 9h30-13h00 / 14h30-18h00
Casa de Camilo|Friúme - 9h30-13h00 / 14h30-18h00
Museu do Volfrâmio - 9h30-13h00 / 14h30-18h00
Museu do Linho - 9h30-13h00 / 14h30-18h00

Siga as instruções dos nossos vigilantes e tenha uma boa visita!


segunda-feira, 18 de maio de 2020

Exposição Camilo e Ribeira de Pena: o Álbum Fotográfico da Casa de Santa Marinha


Está disponível para visita a exposição online Camilo e Ribeira de Pena: o Álbum Fotográfico da Casa de Santa Marinha, que apresenta um conjunto de fotografias da autoria de António Piedade tiradas em 1921 a locais ligados a Camilo Castelo Branco na companhia do 3º Barão de Ribeira de Pena, Francisco Canavarro de Valladares.
Esta exposição surge em celebração do Dia Internacional dos Museus e ficará disponível no site do Ecomuseu até ao final do mês de maio
.




sexta-feira, 15 de maio de 2020

Património Cultural de Ribeira de Pena nomeado para as 7 Maravilhas da Cultura Popular


O concelho de Ribeira de Pena tem sete elementos do património cultural ribeirapenense nomeado para as 7 Maravilhas da Cultura Popular. O Conselho Científico do concurso elevou à categoria de nomeados os patrimónios das sete candidaturas do Município de Ribeira de Pena que passarão agora à fase seguinte de seleção. Estão assim nomeados às 7 Maravilhas da Cultura Popular:

Linhos de Limões – categoria de Artesanato
Canções de Linho – categoria de Músicas e Danças
Croças – categoria de Artefactos
Feira do Linho – categoria de Festas e Feiras
Romaria de Nossa Senhora da Guia – categoria de Procissões e Romarias
Lenda do Rio Tâmega – categoria de Lendas e Mitos
Transumância do Gado Maronês – categoria de Rituais e Costumes

As 7 Maravilhas da Cultura Popular são uma iniciativa que pretende valorizar o património cultural material e imaterial das várias regiões e localidades do país, contribuindo para a diferenciação e promoção territorial. Nesta edição das 7 Maravilhas de Portugal os nomeados serão votados nos 18 distritos de Portugal Continental e nas Regiões Autónomas em 20 programas da RTP a realizar nos meses de Verão. Posteriormente haverá uma votação nacional que definirá os candidatos finalistas às 7 Maravilhas da Cultura Popular, cuja votação final ocorrerá em setembro de 2020.

Os nomeados poderão ser consultados em www.7maravilhas.pt

 

 

 


quinta-feira, 14 de maio de 2020

Ação Museu da Semana


Ao longo das últimas oito semanas, o Ecomuseu de Ribeira de Pena desenvolveu nesta página a ação "Museu da Semana", que permitiu apresentar de forma aprofundada os seus museus, as suas exposições e os seus roteiros, partilhando textos, imagens e vídeos.
Estes conteúdos ficam agora disponíveis para descoberta ou revisitação no separador lateral deste blog, para que em qualquer altura possam ser novamente acedidos à distância.

Para aceder basta clicar no botão


terça-feira, 12 de maio de 2020

Museu da Semana 8 - Os projetos em curso


O Ecomuseu de Ribeira de Pena é um projeto dinâmico cujo desenvolvimento se carateriza pela evolução permanente. Enquanto reflexo da comunidade ribeirapenense e agente de proteção e valorização do seu património, não é concebido para ser concluído num determinado ponto, ou com um determinado número de núcleos. Por isso mesmo, tem neste momento dois espaços em desenvolvimento que serão em breve uma realidade e que complementarão o roteiro do Ecomuseu pelo concelho de Ribeira de Pena e pelo património da sua comunidade.

O Centro de Estudos Regionais

 

 

A biblioteca e o arquivo da Casa de Santa Marinha, residência dos Barões de Ribeira de Pena, foi doada para acesso público à Câmara Municipal por Maria Dolores Celso. Este espólio reveste-se de grande interesse cultural por incluir manuscritos inéditos e documentos únicos para compreender a evolução histórica e socioeconómica da região. Possui ainda uma importante secção de literatura portuguesa, de estudos sobre genealogia nobiliárquica e sobre a vida e obra de Camilo Castelo Branco.

Com base neste espólio documental de grande importância, o Município de Ribeira de Pena pretende criar o Centro de Estudos do Ecomuseu que permitirá desenvolver e estimular os estudos académicos sobre a região, criando uma base de dados documental para apoio às universidades, centros de investigação e sociedade civil que se debrucem sobre o território. Será, por isso, o pólo do Ecomuseu que concentrará o estudo do património, da comunidade e do território.

Encontra-se em fase de instalação num novo espaço cedido pela Junta de Freguesia de Santa Marinha e aguarda a conclusão do tratamento técnico documental para acesso à comunidade académica e civil. 

O Centro dos Vinhos Verdes

 



A importância do vinho verde no concelho de Ribeira de Pena manifesta-se na paisagem, na gastronomia, na história, na economia e na identidade da comunidade ribeirapenense. O Centro dos Vinhos Verdes permitirá valorizar este produto regional, dinamizando a cultura etnográfica que lhe está associada, potenciando o enoturismo e promovendo a sua produção, criando, desta forma, condições favoráveis ao desenvolvimento do sector. 

Será um espaço de promoção, assumindo-se como o ponto de partida para uma série de roteiros de descoberta do vinho verde e do seu território. O Centro dos Vinhos Verdes está a ser instalado na antiga escola primária de Agunchos, próximo do Rio Tâmega e do vale onde se encontra a maior produção de vinho do concelho ribeirapenense.

Este espaço está a ser desenvolvido numa colaboração entre a Junta de Freguesia de Cerva e Limões e o Município de Ribeira de Pena.


sexta-feira, 8 de maio de 2020

Museu da Semana 7 - O Roteiro Maria Moisés


Este roteiro percorre os locais mais emblemáticos que servem de palco à novela Maria Moisés, de Camilo Castelo Branco, no concelho de Ribeira de Pena. De Santo Aleixo d'Além Tâmega, à Ilha dos Amores, o visitante poderá ainda conhecer as poldras e as casas de Temporã, Cimo de Vila e Enxertado.



 

 

Ao visitante é disponibilizada esta edição digital, em cujas fichas de visita poderá encontrar a localização dos espaços, conhecer o seu enquadramento histórico e literário e ler excertos da novela, saboreando as palavras de Camilo junto dos espaços e das paisagens que o inspiraram.

O Ecomuseu disponibiliza ainda nas suas páginas nas redes sociais fotografias e vídeos que permitem a visita à distância.





quinta-feira, 7 de maio de 2020

Museu da Semana 7 - O Roteiro Camiliano



Aproveitando as passagens da vida e obra de Camilo Castelo Branco por Ribeira de Pena, a Câmara Municipal disponibiliza este roteiro cultural que envolve sete locais camilianos na região: um no concelho de Cabeceiras de Basto, a Ponte de Cavês, e seis em Ribeira de Pena, nomeadamente a aldeia de Friúme, a Igreja Matriz do Salvador, a Capela de Nossa Senhora da Guia, a Capela da Granja Velha, a Ponte de Arame e a Casa do Barroso, em Bragadas. Todos eles são espaços de grande riqueza patrimonial, dignos de uma visita, mas que neste Roteiro podem ser apreciados através da leitura de textos escritos por Camilo nas suas obras.


 




Na página da Câmara Municipal está disponível para download este roteiro organizado em fichas de visita que contêm os aspetos históricos e artísticos de relevo acompanhados de passagens da obra camiliana onde surgem como referências.

O Ecomuseu disponibiliza nas suas páginas das redes sociais fotografias e vídeos que permitem a visita à distância.




quarta-feira, 6 de maio de 2020

Ecomuseu celebra Dia Internacional dos Museus com exposição online


No próximo dia 18 de Maio celebra-se o Dia Internacional dos Museus, este ano sob o tema Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão.

O Ecomuseu de Ribeira de Pena irá assinalar esta data com a apresentação online da exposição "Camilo e Ribeira de Pena: O álbum fotográfico da Casa de Santa Marinha". Esta exposição apresentará um conjunto de fotografias da autoria de António Piedade tiradas em 1921 a locais ligados a Camilo Castelo Branco na companhia do 3º Barão de Ribeira de Pena, Francisco Canavarro de Valladares.

Ficará disponível para visita online até ao final do mês de maio através dos canais digitais do Ecomuseu.


terça-feira, 5 de maio de 2020

Museu da Semana 7 - Os Roteiros Literários


Camilo Castelo Branco veio para Ribeira de Pena com apenas 15 anos. Aqui casou, a 18 de Agosto de 1841, com Joaquina Pereira de França, com quem viveu na aldeia de Friúme. Neste concelho o jovem Camilo aprendeu a jogar às damas e ao gamão, organizou entremezes para os serões da Casa de Fontes, foi amanuense do tabelião e estudou Latim com o padre Manuel da Lixa que lhe permitiu, pouco tempo depois, o ingresso na Escola Médico-Cirúrgica do Porto. Aqui nasceu Rosa, a sua primeira filha. Durante o período em que viveu em Ribeira de Pena conheceu lugares, histórias e personagens que frequentemente integrará na sua vasta obra literária. 

 

Friúme é uma aldeia cheia de referências camilianas

Não admira, por isso, que o concelho de Ribeira de Pena tenha hoje uma forte ligação com aquele que foi o primeiro romancista da Península Ibérica e um dos maiores escritores da Literatura Portuguesa. A casa onde viveu em Friúme é hoje uma casa-museu e espaço privilegiado de interpretação da juventude de Camilo e da obra literária ligada a esta região. Este espaço serve ainda de ponto de partida para conhecer outros locais camilianos nas proximidades, agrupados em dois roteiros literários criados pelo Município de Ribeira de Pena.

 


 

Alguns locais do Roteiro Camiliano em Ribeira de Pena

O Roteiro Camiliano em Ribeira de Pena engloba os sete locais mais emblemáticos ligados à vida e obra do escritor. São locais de referência histórica e artística para quem visita a região e que mereceram a atenção do jovem Camilo, que os vem a imortalizar nos seus livros. Ao visitante é dada a oportunidade de conhecer os deslumbrantes monumentos como a Ponte de Cavez, a Igreja de Salvador, a Capela de Nossa Senhora da Guia ou a Capela da Granja Velha, ou maravilhar-se com as surpresas da aldeia de Friúme, da Ponte de Arame ou da Casa do Barroso.

 

 
Alguns locais do Roteiro Maria Moisés

O Roteiro Maria Moisés apresenta os seis locais mais emblemáticos da novela Maria Moisés, uma das mais fabulosas Novelas do Minho. O visitante é assim conduzido a Santo Aleixo d'Além Tâmega, palco central do enredo, bem como às Casas da Temporã, Cimo de Vila e Enxertado, culminando depois na emblemática Ilha dos Amores.

Os roteiros estão organizados em fichas para visita autónoma, que disponibilizam as referências históricas, artísticas e literárias para fruir dos mesmos espaços que inspiraram Camilo saboreando as suas palavras.